Após denúncia, agentes da Polícia Federal (PF) prenderam em flagrante nesta terça-feira, 30, no município de Igreja Nova, a 158 quilômetros de Maceió, uma mulher que se passava por médica e exercia a função usando um diploma falso.

De acordo com informações da PF, no momento em que foi abordada, a suspeita atendia pacientes do Programa de Saúde da Família (PSF). Ela foi detida e conduzida à Superintendência Regional da PF em Alagoas, no bairro Jaraguá, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), por se tratar de crime de menor potencial ofensivo. 
Os policiais apreenderam o carimbo usado por ela, além da relação de atendimentos feitos pela suspeita nesta terça-feira, o que vai ser usado para comprovar o exercício ilegal da profissão.

Ainda de acordo com a PF, a suspeita estudou medicina na Bolivia, mas não chegou a concluir o curso. A contratação dela no PSF teria sido feita por meio do Ministério da Saúde, em Brasília, pelo programa Mais Médicos.  
Após se comprometer a comparecer em juízo quando for chamada, a suspeita foi liberada sem o pagamento de fiança. Ela responderá pelos crimes previstos nos artigos 282 (exercício ilegal da medicina), 297 (falsificação de documento público) e 304 (uso de documento falso), todos do Código Penal.