Dois brasileiros que desembarcaram no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, apresentaram teste positivo para a variante Ômicron do coronavírus, identificada na África do Sul. A informação foi confirmada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e por fontes do Ministério da Saúde ouvidas pelo R7.

O resultado do teste, realizado pelo Laboratório Albert Einstein, ainda é preliminar. Os próprios passageiros, marido e mulher, procuraram o estabelecimento de testes localizado no aeroporto (os exames são requeridos para o retorno à África do Sul). 

Segundo a Anvisa, a entrada dos passageiros no Brasil ocorreu no último dia 23, isto é, antes da notificação mundial da nova variante – o anúncio da descoberta foi feito à OMS (Organização Mundial da Saúde) no dia 24.

De acordo com a agência, diante dos resultados positivos, o laboratório teve a iniciativa de realizar o sequenciamento genético das amostras. A Anvisa foi notificada dos resultados positivos dos testes e do início dos procedimentos para sequenciamento genético nesta segunda-feira (29) e, nesta terça-feira (30), informou que, em análises prévias, foi identificada a variante Ômicron.

"De acordo com os protocolos nacionais, o material deve ser enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL), para fins de confirmação do sequenciamento genético. A Anvisa também oficiou ao Ministério da Saúde e às Secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo o evento em saúde identificado na data de hoje, para adoção das medidas de saúde pública pertinentes", informou a agência, em nota.

Fechamento de fronteiras

A entrada dos brasileiros vindos da África do Sul foi anterior à edição da Portaria Interministerial CC-PR/MS/MJSP/Minfra 660, de 27 de novembro de 2021, que proibiu, em caráter temporário, voos com destino ao Brasil que tivessem origem na África do Sul ou passagem pelo país. A norma também suspendeu, em caráter temporário, a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros procedentes do país africano ou com passagem por ele nos últimos 14 dias antes do embarque.

Desde esta segunda-feira (29), o Brasil está impedindo a entrada de passageiros de dez países africanos devido ao surgimento da nova variante do coronavírus no continente. A restrição atinge África do Sul, Angola, Botsuana, Essuatíni (antiga Suazilândia), Lesoto, Maláui, Moçambique, Namíbia, Zâmbia e Zimbábue.

Caso suspeito em Brasília

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou nesta terça-feira (30) que também monitora um caso suspeito da variante Ômicron do coronavírus. O paciente veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19.

O Laboratório Central de Saúde Pública do DF realiza sequenciamento genético de uma amostra do paciente. O objetivo é verificar se há a presença da nova variante. O resultado deverá ser divulgado em até quatro dias. Ainda não há caso confirmado da nova cepa no Brasil.

Segundo a secretaria, o homem desembarcou em Guarulhos no dia 27 de novembro, com posterior embarque para Brasília. O voo é o mesmo em que estava outro paciente com caso de Covid-19 confirmado, identificado em São Paulo.

O paciente está na faixa etária entre 40 e 49 anos e recebeu três doses de vacina. O caso permanece assintomático, e o viajante está em isolamento domiciliar desde a chegada à capital.

Além de SP e DF, os estados do Paraná e de Minas Gerais investigam casos suspeitos da variante.

Cancelamento das festas da virada de ano no DF

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, anunciou que as festas de Réveillon na Esplanada dos Ministérios e em mais cinco regiões administrativas estão canceladas devido aos riscos oferecidos pela Ômicron.

"Diante das recentes notícias sobre o avanço da nova variante do vírus da Covid-19, decidi cancelar as festas programadas para o Réveillon deste ano. Nós avançamos muito no enfrentamento da doença e não podemos arriscar um retrocesso nesse combate", publicou Ibaneis no Twitter.